Seguidores

Quem sou?

Aqui neste mundo virtual

Eu não estou preocupada com quem sou

Porque aqui eu sou o que escrevo

Aqui eu sou o que penso

Aqui eu sou o que sou

Eu sou somente um sentimento

Enide

31 de jul de 2015

Oh, My Lord!















Porque te vais embora?
Porque rejeitas meu amor?
Eu posso abrigar os teus medos.

Proteger-te de teus pesadelos
Curar-te de tua fragilidade
E renovar tua virilidade

Ainda não és falecido teu amor por mim
Vejo-te sempre faminto
Por que my Lord, queres te afastar assim?

Já bebestes da fonte
Já cruzastes os montes
Oh, my Lord! Não se vá daqui.

Não deixes tua Milady
Sabes que sou eu o teu deleite
Que de mim não podes partir.

Venha my Lord!
Desvista-se desta rosna
Seja valente, não brinque com a sorte.


Enide Santos 31/07/15

20 de jul de 2015

Estrada


















Diz a estrada ao ancião:
-Daqui a pouco tu chegas lá!
Diz o ancião para a estrada:
-Onde é lá?
Estrada: É só o final.
Ancião: Estou cansado, quero parar.
Estrada: Não tem como parar!
Ancião: Estou realmente exausto.
Estrada: Não há para onde voltar.
Ancião: Seja meu leito, deixe-me descansar?
Estrada: Não havia atinado, que seu fim e o termino de mim.
Ancião: Não posso mais aguentar!
Estrada.


Enide Santos 20/07/15

Puro Prazer

















Teus olhos já não fogem mais de mim
Agora me buscam
Como borboletas a um jardim.

Retorna tua boca
Para encontrar-se com a minha
Assim como a abelha a sua rainha

Tuas mãos conseguem me enxergar
Assim como a terra
Delineia o seu mar.

Ah, a tua pele!
Que seu calor busca me doar
Assim como o sol aquece o ar.

 Nada é por obrigação
Apenas por prazer
Amor e paixão.

Enide Santos 20/07/15


1 de jul de 2015

Bem vindo ao mundo Dos meninos de rua














Bem vindo ao mundo
Dos meninos de rua

Instala-te e sinta em tua pele
Os poucos presentes que recebem

Fique esta noite aqui
Entrega-te ao que surgir

Ordene que o medo se vá
Não chore, pois não pode fraquejar.

Entenda, para dor líquida
Aqui não é um bom lugar

Hospeda-te, o ar é livre
Os sons da noite são só ecos tristes.

Aqui já não há recordação
Um canto do mundo para resignação

Pernoite por aqui
Deixe seus ossos doer

Veja seu medo se (re) fazer
Não abdique de si

Lança-se ao chão
Durma...

Se acordar, lembre-se
Que ainda tem sua missão.


Enide Santos 01/07/15